Voltar

Sem Lactose

Produtos sem lactose são seguros?

Apesar do rótulo indicativo, muitas pessoas tem dúvidas sobre a segurança de alimentos sem lactose.

Como já falamos aqui, quem tem alergia à proteína do leite não pode entrar em contato com ela, enquanto quem é intolerante à lactose não processa o açúcar do leite (dividindo-o em glicose e galactose) mas pode consumir os outros componentes do líquido, como a gordura e a proteína. Sabendo dessa diferença, muitas pessoas se perguntam se a presença da expressão "sem lactose" nas embalagens dos alimentos torna aquele produto seguro para consumo por todos, seja intolerante ou alérgico.

Segundo a Anvisa, desde 2019 os fabricantes devem ter a expressão “contém lactose” no rótulo de qualquer alimento que tenha mais de 0,1% de lactose (mais de 100 mg de lactose para cada 100 g ou ml do produto). Esse limite é entendido como seguro para as pessoas com intolerância à lactose e foi definido a partir de referências técnicas e rotulagem de lactose de países como Alemanha e Hungria. 

Dessa forma, todos os rótulos terão menção à presença ou não de lactose no alimento: além dos que "contém lactose", os fabricantes poderão também indicar o “baixo teor de lactose” quando a quantidade de lactose estiver entre 100 mg e 1 g por 100 g ou ml, ou ainda que é "zero lactose" quando a presença for inferior a este limite. Todos os detalhes da rotulagem foram detalhados neste vídeo disponibilizado pela Anvisa.


Como decidir pelo consumo dos produtos "sem lactose"?

Produtos identificados como "sem lactose" podem ser consumidos por pessoas intolerantes à lactose, pois não contém (ou contém apenas traços, dentro do limite definido pela Anvisa) lactose. Lembre que a intolerância é a dificuldade do corpo em digerir e absorver o açúcar do leite (lactose) e que ela acontece porque o organismo diminui ou deixa de produzir a lactase - enzima que digere a lactose.

Por outro lado, o sistema imunológico de quem tem APLV - Alergia à Proteína(s) do Leite de Vaca - reage ao consumo de caseína, alfa-lactoalbumina ou beta-lactoglobulina, que são as proteínas do leite, causando reações adversas. Então, o alérgico deve dar uma atenção especial aos rótulos dos alimentos: mesmo que indique "sem lactose", é essencial verificar a lista de ingredientes que compõem o alimento, verificando se ele não contém leite ou derivados (como, caseína, caseinato, soro do leite ou proteínas do soro). 

Nos dois casos, é importante conversar com o médico para ter não apenas o diagnóstico correto, mas também as orientações mais adequadas para cada quadro clínico.