Voltar

Sem Glúten

Conheça os sintomas de doença celíaca que só mulheres têm

Menstruações irregulares, fadiga, anemia, menopausa precoce ou infertilidade sem explicações aparentes podem ser alguns dos sintomas da intolerância ao glúten nelas.

Como já contamos aqui, a pessoa portadora de doença celíaca - ou seja, intolerância ao glúten - sofre uma espécie de atrofia da mucosa do intestino delgado. Por isso, quando consome algum alimento com glúten (ou “contaminado” por contato com alimento com o componente)  ela tem dificuldade em absorver nutrientes e encara uma série de sintomas, como  diarreia, constipação, distensão abdominal, dor recorrente, entre outros.


Embora haja uma lista de sintomas típicos da doença celíaca, ela se manifesta cada vez mais em mulheres. E nelas prevalecem algumas ocorrências específicas ao sexo feminino, tais como:


  • fadiga crônica,
  • irregularidades menstruais,
  • ausência de menstruação,
  • anemia por deficiência de ferro,
  • infertilidade inexplicada,
  • menopausa precoce,
  • osteopenia (perda gradual de massa óssea),
  • osteoporose (diminuição da densidade óssea e maior risco de fraturas), 
  • necessidade de parto cesáreo,
  • duração reduzida da amamentação;
  • aborto espontâneo.


Para muitas mulheres, a infertilidade inexplicada é o único sinal de doença celíaca não diagnosticada, podendo ser encontrada em até 4% a 8% das mulheres com dificuldades de engravidar. Esse quadro pode ser modificado a partir do diagnóstico, pois estudos apontam que algumas pacientes tiveram gestações de sucesso após pelo menos um ano de dieta estrita sem glúten.


O site norte-americano Beyond Celiac relata o caso de uma mulher de 35 anos diagnosticada com doença celíaca após tentar engravidar por mais de 16 meses. Assim que ela adotou uma dieta estrita sem glúten e suplementação adequada de vitaminas e minerais e, com 10 meses de tentativas, conseguiu engravidar e deu à luz após uma gestação 100% saudável.


O Beyond Celiac também traz um estudo realizado na Itália, no qual pesquisadores recrutaram 61 mulheres com doença celíaca para avaliar se o diagnóstico precoce e o tratamento com dieta sem glúten poderiam afetar as características da perimenopausa (fim da fase reprodutiva) e da menopausa nelas. Para tanto, compararam o grupo (de mulheres celíacas) a uma população de controle (sem fazer a dieta específica contra a intolerância) e, após a análise, observaram que tanto o diagnóstico precoce como a implementação da dieta sem glúten parecem proteger a fertilidade.


Caso você tenha algum desses sintomas e não apresente outra doença pré-existente que possa justificá-los, consulte um médico ou uma nutricionista.