Voltar

Orgânicos

Alimentos orgânicos são mais caros?

Entenda os motivos que explicam a diferença de preços entre orgânicos e alimentos convencionais.

Nos últimos anos, os alimentos orgânicos se popularizaram. O consumidor percebeu que o menor uso de pesticidas e fertilizantes se traduzem em alimentos diferenciados, saudáveis e que ajudam a preservar o meio ambiente.

Nós já comentamos aqui que, apesar de entender todos os benefícios dos orgânicos, o valor mais alto pode ser um empecilho na hora da decisão de compra.  Para lhe ajudar a decidir se vale a pena investir nesses alimentos, vamos esclarecer o que faz com que haja essa diferença de valores, fazendo com que o orgânico seja mais caro do que o alimento convencional.


4 fatores que influenciam o preço dos orgânicos

No livro Prato Sujo, publicado pela editora Abril com a chancela da revista SuperInteressante, a jornalista Márcia Kedouk listou alguns fatores que impactam no preço do alimento orgânico, selecionamos os principais:


1. Demoram para ficar prontos

Alimentos oriundos de sementes que não foram geneticamente modificadas e que são cultivados sem adubo químico ou agrotóxicos se tornam menos resistentes a pragas e demoram mais para ficar no ponto de colheita e consumo. Esses dois pontos fazem com que a produção orgânica seja até 40% menor, em volume, do que a convencional.

2. São produzidos em menor escala

Grandes fazendas produzem em grande escala e colocam no mercado uma enorme quantidade dos produtos, que acabam tendo um preço melhor. Já os agricultores que produzem alimentos orgânicos têm uma colheita bem menor a oferecer e, por isso, não conseguem reduzir o valor do seu produto sem ter prejuízo.

3. Têm mais custos embutidos

Além da certificação de que sua produção é realmente orgânica, os produtores desse tipo de alimento têm um custo superior. No caso de quem cria animais, por exemplo, a ração que os alimenta ou complementa sua dieta também deve ser orgânica, e ela pode custar até o dobro da tradicional. Além disso, a produção socialmente responsável demanda que todos os trabalhadores tenham carteira assinada e que a propriedade seja legalizada, seguindo normas de preservação ambiental.

4. Sobrevivem em um mercado pequeno

Atualmente, cerca de 2% das indústrias no Brasil manuseiam, embalam, processam ou fabricam produtos usando alimentos orgânicos. Para termos uma ideia da diferença, vamos olhar para a Holanda: lá, são 36%. Ou seja, ainda há pouca gente comprando orgânicos. 

Já no consumidor final, o cenário é um pouco mais positivo. Já comentamos que, segundo pesquisa da Organis, 19% dos entrevistados disseram ter consumido algum produto orgânico nos últimos 30 dias, em 2018.

Bem, agora que entendemos melhor porque os alimentos orgânicos tem valor mais alto, vamos deixar duas questões para você refletir: vale a pena investir neste tipo de produto e nas vantagens que eles trazem para a nossa saúde? O quão importante é para você consumir produtos orgânicos e, com isso, contribuir para a sua saúde e com o planeta?