Voltar

Consumo consciente

Marmitas: aposta para alimentação de qualidade

Produzir a própria comida também é uma forma de economizar.

A Pesquisa de Orçamentos Familiares do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) confirma que as famílias brasileiras têm comido mais fora de casa e comprado mais alimentos prontos, em vez de cozinhar em casa. Tanto que a alimentação é a terceira maior despesa no orçamento familiar no País. 

No dia a dia, comer fora pode ser mais prático e até parece ser mais barato. Porém, na maioria das vezes custa muito mais caro do que preparar sua comida em casa. Uma opção que pode beneficiar a sua conta bancária é o preparo de marmitas. Práticas, elas são uma alternativa que pode ser super saudável e econômica, pois você escolhe o que vai comer, organiza sua  rotina e sabe que aquela refeição foi preparada com todo o carinho: de você pra você!


Como começar? Planejando!

Comece com o planejamento do seu cardápio semanal. Assim, você aproveita melhor os alimentos que têm em casa, evitando o desperdício. Sugerimos que você comece listando tudo que tem na geladeira, congelador e armários. Pesquise algumas receitas rápidas que tenham como base esses ingredientes e distribua-as ao longo dos dias. Talvez seja necessário ir ao mercado buscar alguns ingredientes extras, mas certamente a compra será bem mais barata. 

Evite receitas com creme de leite, iogurte e maionese, pois elas podem perder sabor e textura quando forem aquecidas. Outra questão importante; frituras perdem a textura quando armazenadas, enquanto os peixes, além de estragarem facilmente fora da geladeira, a depender da espécie, podem ter um odor forte que pode não agradar aos colegas de trabalho. 

Se você quer economizar ainda mais, pode substituir alguns desses ingredientes, caso eles não sejam a base do prato. O mesmo vale para os casos em que a receita é boa mas tem aquele ingrediente que você não curte: deixe de fora e evite comprar algo que na prática você não vai usar.

Antes de começar a lista inicial do que você tem em casa, lembre de organizar a despensa: jogue fora o que estiver vencido e doe o que não for usar. Distribua as embalagens de forma que tudo fique visível e ao alcance da mão. Se achar necessário, adquira alguns potes de mantimentos  - e opte pelos transparentes, pois eles permitem ver melhor o que há no estoque.

Esse investimento inicial de tempo e, às vezes, de dinheiro, é muito importante quando pensamos a médio prazo, no dia a dia. Você organiza a casa e a rotina para minimizar o desperdício e priorizar o uso do que tem em casa. Importante lembrar: mesmo sendo marmita, tem que haver espaço para legumes e verduras.

Outra dica que ajuda a economizar tempo: aposte em preparações versáteis ou faça porções extras. Fez lasanha, por exemplo? Faça um pouco a mais para o almoço da semana, porcione e congele. Comprou carne moída? Use uma parte para preparar molho para o macarrão e outra para um guisadinho com legumes.


Tudo organizado? Então, mãos na massa!

Na hora de enfrentar o fogão, quem não tem muita prática pode ficar com um pouco de receio. Não tenha! Leia a receita, separe os ingredientes e siga o passo a passo. A regra vale inclusive para alimentos de uso comum, como arroz e feijão. Leu e ficou com dúvidas? Há uma grande chance de você achar o modo de preparo do seu prato em vídeo no Youtube, por exemplo. De modo geral, lembre sempre que o importante é fazer: a perfeição pode vir com o tempo. 

Na hora de montar as marmitas, pense na sua rotina e na repetição das refeições. Você fez arroz, massa e lentilha: calcule a quantidade que normalmente você come em uma refeição e coloque em um pote. Depois, coloque a carne. Fez frango e gado? Então pense em combinações que dêem variedade às refeições, como por exemplo:

pote 1 - massa com carne

pote 2 - arroz, lentilha e frango

pote 3 - massa com frango

pote 4 - arroz, lentilha e carne

pote 5 - massa com lentilha

Terminou de organizar os potes? Espere ficar na temperatura ambiente antes de fechar, evitando que os alimentos murchem.

E as saladas? Lave as folhas, seque e guarde em saquinhos, também porcionadas. Lembre que o tomate, se for cortado, solta água. Então, se ele for a salada, leve separado - ou opte pelo tomate cereja inteiro Assim, na hora de sair para o trabalho, você pega um pote de comida, um saquinho de salada e -  pronto! - seu almoço está definido!.

Não desista caso o lugar onde você trabalha ou vai almoçar não tenha uma cozinha para os funcionários. Você pode preparar porções de alimentos que podem ser consumidos em temperatura ambiente, como saladas ou uma massa parafuso + um molho gostoso, que você coloca na hora. Essas alternativas solucionam o problema. 

Outra dica: você pode fazer mais marmitas e otimizar não apenas o almoço, mas também a janta. Além disso, pode, congelar as porções. Fique à vontade para misturar alimentos, inovar nas receitas ou, se for o caso, fazer apenas o básico. O importante é planejar sua rotina, organizar o cardápio e começar a cozinhar!

Vamos cozinhar?