Voltar

Bem-estar

Dormir bem para produzir melhor

A receita antiga do deitar cedo e sem distrações na cama é a melhor, pois garante saúde, produtividade e bom ânimo no dia seguinte

Dormir bem é a base da qualidade de vida. Além de colaborar com a reposição energética do corpo e com o equilíbrio e funcionamento do organismo, o descanso impacta diretamente no humor e na produtividade no trabalho. O sono funciona como um alimento para o nosso corpo, já que repõe as energias e nos regula para uma nova jornada de atividades.

É durante este intervalo que se fortalece o sistema imunológico, libera-se a secreção de hormônios e se consolida a memória, entre outras funções de extrema importância. Quem dorme pouco - ou mal - fica menos disposto no dia seguinte, com fadiga, irritabilidade e até lapsos de memória. Em casos crônicos, a pessoa pode sentir sonolência diurna exagerada e enfrentar alterações do humor e das capacidades mentais (aprendizado, raciocínio e pensamento). 

O Ministério da Saúde indica que uma pessoa precisa, em condições normais,  entre 6 e 8 horas de sono por dia, sem interrupções. Porém, esta quantidade pode variar - e cada pessoa precisa observar o seu relógio biológico para entender quantas horas precisa dormir. O sono, assim como outras questões da vida, também depende do auto-conhecimento.

Reconhecendo a importância de se conhecer para saber o que faz bem ou não, a consultora com foco na cultura do trabalho, Thais Godinho, passou a observar como é alto o impacto de uma noite mal dormida na qualidade de vida, na organização, no ânimo e na produtividade das pessoas. Ela compartilha algumas práticas pessoais que a ajudam a dormir sem rodeios e, ao mesmo tempo, lembra da necessidade de consultar um médico quando dormir mal vira rotina. 

Entre as práticas pessoais para dormir bem e garantir um dia seguinte produtivo e saudável, Thais inclui:

  • Evitar trabalhar até tarde da noite;

  • Evitar dispositivos eletrônicos, tais como celular e tablet na cama,  à noite;

  • Evitar conversas e debates que agitem a mente no fim do dia e, se estiver muito estressado com a política ou com a pandemia, desligar a TV antes do noticiário é uma boa medida;

  • Evitar cafeína ao longo do dia, sobretudo depois do meio da tarde em diante;

  • Deixar um bloco de anotações ao lado da cama para “esvaziar a mente” antes de dormir e, desse  modo, não ficar remoendo atividades que precisam ser feitas no dia seguinte, que resultam em um "redemoinho de pensamentos" e até mesmo de ansiedade;

  • Manter os mesmos horários de acordar inclusive aos finais de semana.

Analise a lista e compare com a sua rotina. Há alguma que você pode testar? Que hábitos podem estar atrapalhando o seu sono? Como evitá-las? Talvez você possa começar tentando não pensar nos problemas e nas tensões do dia-a-dia: preste atenção na sua respiração e relaxe. Também é importante ter um ambiente apropriado para o sono, com  iluminação e temperatura adequadas, um bom colchão e travesseiros.

Agora, se você está há mais tempo buscando maneiras de dormir bem e não obtém sucesso, é importante consultar um médico, que poderá diagnosticar algum problema maior (como insônia,  apnéia obstrutiva do sono ou síndrome das pernas inquietas). Uma boa noite dormida faz toda a diferença em nossa saúde.